terça-feira, 30 de agosto de 2011

"Caso Judas" reaberto!


A Comissão Disciplinar da Liga decidiu reabrir o processo sobre a queixa de aliciamento apresentada pelo Marítimo, sendo que o recurso apresentado pelo clube, em que este evidencia as contradições de todo este processo deverá ter contribuído para esta decisão. 
Novas inquirições começaram já a ser feitas, com vários dirigentes (entre eles C.P.) a serem ouvidos ainda no dia de ontem, na sede da Liga. 
Haverá a convicção de que, nas declarações registadas anteriormente, Kléber e o Atlético Mineiro terão prestado declarações falsas. 
De referir que, paralelamente a este processo "interno", existe uma queixa também na FIFA. 
O Marítimo procura desta forma fazer valer a sua razão e ser compensado financeiramente pelos prejuízos causados por todo o processo e pelo não-cumprimento do contracto assinado com o jogador e o Atlético Mineiro. 

A. Paulo na final do Camp. do Mundo

O atleta do Marítimo continua a surpreender o mundo. 
Depois de, há poucas semanas, ter conquistado a medalha de ouro nas Universíadas em Shenzhen (China), Alberto Paulo apurou-se na madrugada de segunda-feira, de forma sensacional, para a final dos 3.000 metros obstáculos, com um tempo de 8.22.41 (novo recorde pessoal) que o coloca como o terceiro melhor português de sempre! 
Para além de garantir a presença entre os 15 melhores do mundo, A. Paulo conseguiu deste modo os mínimos para os J.O. de Londres 2012. 

A não perder a histórica final do atleta do Marítimo, já na próxima quinta-feira às 12h:25m, com transmissão em directo na RTP:2 e EUROSPORT. 

Extremo Esquerdo do Centenário - Noémio

C.S.M. 1966
Da esquerda para a direita: (em pé) Coelho, Andrade, Agrela, Ângelo, Petita, João Nunes, Noémio e Julinha;
(em baixo) Eugénio, Isaque, António João, Grisañela, Pitanga, Emanuel e Armando; 


Uma das antigas glórias do Marítimo dos anos 60/70, Noémio foi um dos mais importantes jogadores da altura, realizando uns impressionantes 656 jogos com a camisola verde-rubra. 
 


É por estas, e por muitas outras, que eu não compro jornais desportivos há mais de 10 anos. 

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Sporting C.P. 2 - 3 C.S. Marítimo (Ficha de Jogo)

scp 2 - C. S. MARíTIMO 3


O Marítimo apresentou-se em Alvalade ainda sem qualquer reforço na equipa titular, depois de um mau arranque de temporada (contabilizava apenas um ponto) e com um desenho táctico diferente, fruto da saída de Baba (que ficou no banco no seu último jogo com a camisola verde-rubra). 
Entrou na equipa Olberdam e Danilo Dias assumiu uma posição mais avançada no terreno. 
Jogo de grande importância e ansiedade para ambas as equipas que, em caso de derrota, estariam em muito maus lençóis, com uma crise interna à porta. 

O Marítimo apresentou-se bastante forte, com grande entre-ajuda entre os seus jogadores, compacto, com os sectores bem próximos e apostando na velocidade dos homens da frente. 
Sinal mais para os lances de bola parada que meteram em sentido a defesa contrária em várias ocasiões, sendo que a primeira oportunidade de perigo fez brilhar Rui Patrício com uma defesa milagrosa a salvar as suas redes. 
Muito boa atitude da equipa que não se limitou a ficar atrás a defender e teve períodos em que dominou o jogo. 

Sem ter feito nada por merecer, o Sporting chegou ao primeiro golo num remate bem colocado de Izmailov, a 7 minutos do intervalo. 
Na II parte o Marítimo entrou forte e bastaram 7 minutos para dar a volta ao resultado (R. Miranda 48' e Sami 52').
O Sporting sentiu o golo e jogava ansioso e sem criar grande perigo. Sentia-se que o jogo estava controlado até ao momento em que, numa falta marcada ao contrário e num livre com a bola a tabelar na barreira o SCP empata o jogo quando já estávamos nos últimos 15 minutos. 
Parecia que as coisas ficariam assim, com um amargo de boca por ter o jogo na mão e, mais uma vez, tê-lo deixado fugir já no fim, até que ao minuto 90, em mais um pontapé-de-canto Baba salta mais alto que toda a defesa e num golpe de cabeça fulminante coloca a bola no fundo da baliza dos lagartos para grande alegria de toda a nação Verde-Rubra, naquele que será o seu golo de despedida do Marítimo. 

Importantíssima vitória em Alvalade para uma equipa que precisava de ganhar confiança e recuperar o apoio dos seus adeptos. 
Nada está ganho, há que continuar a trabalhar e a provar jogo-a-jogo que esta vitória não foi obra do acaso.

domingo, 28 de agosto de 2011

Sporting - MARÍTIMO



GR: Peçanha, Ricardo
DF: Robson, Briguel, Ruben, João Guilherme, Roberge
MD: Olberdam, Roberto Sousa, Luís Olim, Rafael Miranda, Danilo Dias
AV: Baba, Ibrahim, Marquinho, Sami, Héldon, Adilson

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Sondagem nr. 9 - Interior Direito

Nomes propostos:
António Alves
Leonel Alves
"Checa"
Eduardo Abreu "Venena"
Ângelo Gomes
Jorge Andrade


* Até ao fim da actual sondagem, aceitam-se nomes para esta lista. 

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

S.C. Braga 2-0 C.S. Marítimo

Extremo Direito do Centenário - José Ramos "Zé Pequeno"



José Ramos "Zé Pequeno" foi o primeiro internacional português do Marítimo e era um dos intocáveis da fabulosa equipa que em 1925/1926 se sagrou campeã de Portugal. 
"Zé Pequeno" marcou um dos golos da brilhante meia-final em que o Marítimo bateu o F.C.P. por 7 a 1, e foi dele o segundo golo da final contra o Club. F. "Os Belenenses": "Poucos minutos depois acontece o segundo golo. O extremo esquerdo do Marítimo recebe a bola do seu médio e efectua um magnífico centro. A bola é recolhida por José Ramos (Zé Pequeno), completamente isolado, que aponta sem hipótese de defesa para o guarda-redes lisboeta."

sábado, 20 de agosto de 2011

A. Paulo - Campeão do Mundo


O atleta madeirense do Marítimo - Alberto Paulo - sagrou-se campeão do mundo nos 3000m obstáculos nas Universíadas que decorrem em Shenzhen (China). 
Uma grande prova do atleta da Calheta que demonstrou toda a garra e determinação que o caracterizam. Um exemplo de grande humildade, fé e dedicação ao desporto.  
Foi a segunda medalha de ouro portuguesa, depois da conquistada por Nelson Évora. 
in maritimosaudade.blogspot.com/






















As notícias dão conta de que um grupo de empresários estará na Madeira a tentar negociar juntamente com C.P. e junto do consórcio que iniciou as obras do novo estádio, uma solução para que estas sejam concluídas pela A.F.A. 
Será que é desta que é quebrado o impasse nas obras?

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

O estranho caso da "marítimo tv"

O arrojado e dispendioso projecto da "marítimo tv" virou, passados poucos meses, um enorme mistério. 
Questionou-se a sensatez de tão elevado investimento numa altura de tão elevadas dificuldades (fala-se em 600 mil euros), com material que terá vindo da "Esposende TV" e com, segundo parece, técnicos do norte do país. 
Apesar de todas as suspeitas e críticas pelo dispendioso investimento, ele lá arrancou em fase experimental e, julgo eu, recolheu enorme simpatia pois deu a conhecer "por dentro" a realidade Verde-rubra, bem como as conferências de imprensa e outros aspectos importantes para quem vive o clube com grande interesse e paixão. 
Da diáspora chegaram elogios carregados de saudade de quem se vê privado de imagens e notícias do seu querido Marítimo, já que os 5 segundos de antena (semanais) que o clube tem nos noticiários nacionais (?) de pouco servem. 
Eis que a 24 de Junho é carregado o último vídeo. Falou-se em período de férias mas entretanto passaram quase dois meses e ninguém sabe, ninguém informa os adeptos, ninguém naquela direcção, naquela casa tem o mínimo de respeito por nós (é a conclusão óbvia) e tem a dignidade de explicar o que quer que seja. 
E o mais engraçado é ver os meninos e as meninas a brincar aos jornalistas e às televisões (estiveram na apresentação da equipa p.e.) e depois não vermos os vídeos em lado nenhum. 
Onde é que andam os vídeos? O que faz o nosso Dep. de Marketing? Onde estão as fotografias que as meninas deste departamento tiram nos jogos enquanto passeiam de salto alto e Giovanni GalliA loja do Marítimo é uma vergonha para uma equipa que se diz profissional e ter um "Departamento de Marketing Comunicação e Imagem". A página oficial não é actualizada, ainda há poucas semanas o Kanu estava lesionado e o Kléber ainda era jogador da equipa sénior. 
Deviam ser mais sérios e rigorosos com o trabalho que fazem, o Marítimo e os seus adeptos merecem mais e melhor. 

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Simplesmente brilhante!

Portugal volta à final do Mundial Sub-20 vinte anos depois, encontrando o mesmo adversário de 1991, o Brasil. 


Da "geração da coragem" faz parte um madeirense, Alex, que começou a jogar futebol no Marítimo passando depois por Nacional e F.C. Porto.

Sondagem nr. 7 - Extremo Direito

Por motivos de desempate, esta votação prolongar-se-á por mais 2 dias. 

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

"Karma's a bitch!"



"Falcão não pensa em sair,.., insiste que quer 'marcar uma era' no clube,.., quer ganhar muitos títulos no Dragão antes de pensar numa eventual transferência." 04-12-2010

"Tenho dois anos de contracto e espero cumpri-los." 19-04-2011

"Avançado Colombiano surpreendeu ao assumir que gostaria de sair do F. C. Porto «...este é o momento certo para sair.»"  14-08-2011

Primeira jornada.


Infelizmente não fomos excepção numa jornada marcada pelos empates (5). Tivemos inúmeras ocasiões para marcar mas não fomos felizes. 
Confesso que esperava mais do Beira-Mar e pensava que o jogo seria mais complicado, sobretudo quando jogamos com uma equipa que não pôde apresentar nenhum reforço, e com uma grande ausência (Bena). 
Foi pena porque tivemos tudo para ganhar e não aproveitamos. Começamos mal e os fantasmas da época passada voltaram aos Barreiros. 
Aos adeptos, aos sócios, pede-se paciência. Há que reconhecer que as coisas não estão fáceis, e não será com apupos e a mandar o Pedro Martins "p'ra terra dele" (logo à 1ª. jornada) que a coisa irá melhorar. 


"Rui Rego evitou o pior para a sua equipa, que pouco fez para vencer. Danilo Dias ainda tentou levar o Marítimo à vitória." in Maisfutebol

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

"Liga Portuguesa?"

Carta do leitor do Sr. João de Góis - 8 de Agosto de 2011: 
"O Presidente do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol deu uma entrevista em que falou no excesso de jogadores estrangeiros na Liga Portuguesa que já ultrapassam os jogadores nacionais.
Não obstante tratar-se de um sinal de avanço cultural numa globalização que cada vez mais atinge todos os sectores, nos dias de hoje constata-se uma aposta quase a olhos fechados no produto estrangeiro em detrimento do produto nacional. 
É para mim vergonhoso enquanto simpatizante do C. S. Marítimo ter a equipa com mais estrangeiros na Liga Portuguesa com a qual já não me identifico.
Joguei futebol nas camadas jovens e o Marítimo sempre foi uma das melhores equipas (a par do Nac.. e Un..) destacando-se dos outros dois por apresentar um plantel totalmente regional. No entanto, aquando da passagem para o escalão sénior, constata-se uma série de fenómenos inexplicáveis. Jogadores estrangeiros que nunca ninguém ouviu falar são preferidos e quase obrigados a jogar para se valorizarem e serem vendidos a preço de ouro, enquanto o madeirense que até dá "uns toques na bola" tem de se contentar com uma equipa da Série Madeira em que vai treinar após um longo e exausto dia de trabalho.
Tenho 24 anos e lembro-me perfeitamente de jogar contra grandes fenómenos do futebol regional desde o Rúben Micael e outros que o igualavam e até superavam. No entanto, já no futebol jovem havia estes fenómenos. O União era um clube que claramente se destacava contratando jogadores estrangeiros para os escalões de juvenis e juniores pagando-lhes quase tanto ou mais que jogadores seniores e ainda com direito a habitação. No meu clube jogávamos por amor à camisola, por amizade, por confraternização e por uma sandes de marmelada com "pão fresco do dia anterior" e um sumo "radioactivo". 
Nunca tive grande talento para o futebol. A vontade e o gosto eram sempre superiores ao jeito para a coisa. Hoje dou graças a Deus por assim ter sido pois mesmo se fosse um grande jogador, para jogar num dos grandes da Madeira faltava-me algo.. o belo do sotaque brasileiro."


O estudo do SJPF, a que o Sr. João de Góis faz referência, pode ser descarregado aqui.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Sondagem nr. 8 - Extremo Esquerdo

Nomes propostos:
José Fernandes "Bisugo"
"Canhota"
Eduardo Silva
Fernando Luís
Noémio
Moacir
Djair



* Até ao fim da actual sondagem, aceitam-se nomes para esta lista. 

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Marítimo 2011/12: Um clube profissional?


Depois de abordar as entradas e saídas para a nova época do Marítimo, chega a hora de fazer um balanço do que foi esta pré-época, com o 3º e último artigo desta sequência. Em primeiro lugar, devo dizer que tinha preparado um artigo diferente, ia falar-vos do Rúben Ferreira nos "sub-20", de uma nova postura por parte do Pedro Martins perante os adeptos, até tinha um trocadilho com o discurso dos "homens de barba rija" do Presidente Carlos Pereira, mas depois de ler algumas das notícias de hoje sobre o nosso clube, sinto-me triste e obrigado a pôr em causa se o Marítimo é, ou não, um clube profissional.

Um clube profissional de futebol tem, na sua estrutura, um departamento responsável pela direcção desportiva da equipa, departamento esse que é o "coração" por onde passa todo o futebol do clube, seja ele relacionado com a equipa principal, futebol de formação ou prospecção de mercado. O responsável por esse departamento será, necessariamente, o homem forte do futebol de um clube, quer seja ele o treinador da equipa principal, ou o director desportivo. Independentemente, e nas palavras de José Mourinho, "A estrutura de um clube deve ser moldada à filosofia do seu treinador, às necessidades e ao seu modo de pensar."

Aplicando este raciocínio estrutural ao Marítimo, deparamo-nos com um entrave inicial, quem é o responsável pelo futebol verde-rubro? Se por um lado o técnico Pedro Martins é o responsável pelo dia-a-dia da equipa A e B, parece ser o Presidente do clube, o responsável pela prospecção, ou falta dela, e contratação de activos para a equipa. Aliás, depois da saída de António Fidalgo, ex-director desportivo do Marítimo, sem que tenha sido contratado um substituto para a sua posição, parece-nos liquído que o Presidente chamou a si essa responsabilidade. Ultrapassado o primeiro entrave, levanta-se um novo obstáculo, um que temo ser intransponível - Quantas observações dos reforços foram feitas, antes dos mesmos assinarem pelo Marítimo?

Ora bem, com excepção do Pouga, somos obrigados a concluir que a contratação de Domeneghini e dos 4 nigerianos foram realizadas sem qualquer observação presencial, que atestasse a componente física e técnica, quer por limitações geográficas, quer pelo facto de muitos deles não actuarem regularmente nos antigos clubes. Mais grave, no caso dos nigerianos, parece-nos óbvio que os mesmos fazem parte da "carteira" do mesmo agente desportivo, o que prova que a resposta ao 1º entrave estava errada - não há responsável pelo futebol do Marítimo, porque se houvesse estaria, obviamente, demitido!

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Tutti-frutti, ser ou não ser


Ainda que bem distante da dúvida existencial que assombrava Hamlet, será que é possível apoiar o Marítimo e, simultaneamente, torcer pelo sucesso de Benfica, Sporting ou Porto? Ser ou não ser verde-rubro, eis a questão!

Em primeiro lugar, há que identificar o processo de identificação do adepto com um determinado clube, e reconhecer que esse fenómeno sofreu, nas últimas décadas, grandes alterações. Até ao início dos anos 90, a maioria da massa adepta dos clubes era construída através de identificação local e regional, ou seja, quem nascia ou vivia na Madeira era adepto de um clube da Região, quem nascia ou vivia no Algarve seria adepto de um clube dessa região. Na verdade, os clubes assumiam-se como extensões naturais das regiões ou localidades em que tinham origem, juntando o orgulho no clube com o orgulho local ou regional, o já referido "local pride".

A partir dos anos 90, o paradigma de identificação do adepto com os clubes mudou radicalmente, agora esse processo é ditado pela exposição mediática, ou seja, pela quantidade de capas de jornal, reportagens na televisão ou programas de rádio. Ora, se por um lado o futebol ganhou com este renovado interesse dos media, por outro, essa vitória viria a revelar-se uma derrota para os clubes mais pequenos, que viram o seu espaço mediático condicionado por exigências económicas, e reduzidos a meros figurantes, num filme com apenas 3 actores principais.

Assim nascem os "tutti-frutti", adeptos de cor indefinida, vítimas da ditadura imposta pela comunicação social, que durante 28 jogos parasitam entre dois clubes, mas chegada a hora da verdade, marcham estádio adentro, equipados a rigor e prontos a festejar a derrota do Marítimo. Não tenham dúvidas, estes adeptos mercenários são o maior desafio que o Marítimo enfrenta, a maior ameaça à sobrevivência do futebol, já que para eles tudo se reduz e gravita à volta de 3 clubes, ignorando 100 anos de herança histórica, cultural e desportiva. Por tudo isto, nós, adeptos irredutíveis do Clube Sport Marítimo deixamos bem claro: Ou estão connosco, ou estão contra nós!

terça-feira, 2 de agosto de 2011


"PORQUE É QUE AS ASSISTÊNCIAS SÃO BAIXAS E ESTÃO A DESCER?

- Jogos em péssimos horários! ?
R: Mentira! Só em algumas semanas houve jogos à 2ª feira, .., . Além disso, os estádios mais vazios são das equipas que nem têm transmissão televisiva e jogam-se ao Domingo às 16h.

- Transmissões televisivas! ?
R: Mentira! Os jogos que dão na TV são aqueles que já têm mais assistências. A Mediana representa a metade dos estádios que estão vazios e nem têm transmissão televisiva.

- Preços dos bilhetes muito elevados! ?
R: Mentira! Só diz que os bilhetes são caros quem só quer ir ver O Único jogo onde esses bilhetes são caros. E 1 jogo não influencia os restantes jogos com estádios vazios. É que a realidade na maioria das equipas já são bilhetes à borla jornada após jornada.

- Demasiadas equipas, devia-se reduzir para 12! ?
R: Mentira! Reduzindo para 12 equipas, calculando o valor da Mediana na presente temporada o resultado seria de apenas 3805 espectadores. Isto porque só 5 equipas têm Medianas acima de 4 mil espectadores.

 - Pouca população! ? 
R: Mentira! Portugal 10 M, Bélgica 10 M, Suécia 9 M, Suiça 8 M, Noruega 4 M, Escócia 5 M... Não é por aí...

- Então, será que é por causa dos 3 Estarolas! ?
R: É estúpido mas é Verdade! A massificação dos 3 estarolas começou há 50 anos, mas ainda nos dias de hoje consegue intensificar-se ano após ano. Só o V.Guimarães e Sp.Braga conseguiram contrariar essa lavagem cerebral feita pela imprensa de Lisboa e Porto, e apenas eles conseguem Medianas superiores a 4mil espectadores. Se o mesmo acontecesse nas outras cidades, os resultados seriam completamente diferentes.
Quanto à Académica, após 8 anos consecutivos na Primeira Liga sem feitos notáveis, vários adeptos têm deixado de marcar presença no estádio. Mas quais são esses adeptos? Mais uma vez, os adeptos dos 3 estarolas (que apenas simpatizam com a Briosa)! A verdade é que os cerca de 2500 adeptos 100% Briosa, os mesmo que estiveram presentes no Académica vs Nacional enquanto decorria o Porto vs Sport Lisboa, esses nunca deixam de marcar presença. 

A causa é, como referi, a massificação dos 3 estarolas.
Com isto só há 1 estádio cheio, que até pode esconder a verdade fornecendo uma Média superior (apenas!) à Noruega ou Suécia... Mas os 80% de estádios vazios não enganam!


Estes resultados são bons para os milhões de portugueses que sonham em ser 10 milhões e ganhar todos os jogos por 5-0 a clubes com 0 adeptos e, de preferência, só com 10 em campo.




E SE A BRIOSA JOGASSE EM INGLATERRA?


Termino com um artigo interessante inglês, sobre uma sondagem aos adeptos, no país onde os estádios estão sempre cheios (todos cheios, não é 1 por jornada...):


Local Pride é o motivo número 1 da escolha do seu clube, atingindo quase 50% das escolhas.

Coimbra, com a Universidade de Coimbra e a Académica de Coimbra, teria mais do que motivos suficientes para um Local Pride indiscutível.
Se em Coimbra, com 150.000 habitantes, 50% das pessoas tivessem o orgulho de apoiar o clube local, esses 75.000 adeptos resultantes dariam resultados bem diferentes nas assistências do que os actuais 3.000 (2%).
Mas isto é Portugal..." in http://academicasempre.blogspot.com/


O artigo que eu gostava de ter escrito. Está tudo aqui. Podem substituir Académica e Coimbra por Marítimo e Madeira. 
Um artigo para que muitos reflictam sobre as suas opções clubísticas e o porquê de os estádios portugueses estarem completamente vazios ao contrário dos ingleses. 
APOIA O CLUBE DA TUA REGIÃO!!! APOIA O MARÍTIMO!!!

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Sondagem nr. 7 - Extremo Direito

Nomes propostos: 
"Zé Pequeno"
Artur Alves
Manuel Olival
"Farruca"
José Manuel "Camarão"
Joel
"Tininho"
Valter
Alan


* Até ao fim da actual sondagem, aceitam-se nomes para esta lista. 

Vitória Guimarães 1 - 1 Marítimo