terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Filho de Fary no Marítimo

O Marítimo contratou Ibrahima Faye, jogador que alinhava no Lamego da III Divisão nacional e que é filho de Fary, ex-avançado do Beira-Mar que atua, aos 37 anos, no Boavista.
 

A inscrição do jovem senegalês de 19 anos, que alinha a médio, foi a única que deu entrada na Liga de Clubes nesta terça-feira, conforme anuncia o organismo. in Relvado

Marítimo 1-2 Braga


Ficha de Jogo

Entrada ansiosa em jogo, com o Braga a criar duas boas oportunidades para inaugurar o marcador. O Marítimo depois conseguiu assentar o seu jogo e acabou por fazer uma boa primeira parte, saindo com vantagem no marcador (golo de Pouga). 
Na segunda, após uma desatenção na área, Custódio empatou o jogo seguindo-se a expulsão que complicou-nos ainda mais a vida. Aceita-se o vermelho a Robson, mas é daquelas coisas que se fosse ao contrário o mais provável era que se safasse com um amarelo.
Teve o Braga a sorte do jogo porque nas únicas situações criadas na segunda parte foi eficaz. Mas não se pode apontar nada a esta equipa que, mesmo depois de estar (mais uma vez) em inferioridade numérica nunca deixou de mostrar enorme garra e alma. 
A nível disciplinar, mais uma vez foi vergonhosa a arbitragem. A uns é-se rigoroso, a outros é-se condescendente. Houve jogadores do Braga a reclamar ostensivamente as decisões do árbitro, e com faltas com a mesma gravidade, o critério foi sempre desigual e a ficha de jogo demonstra-o. A ficha do Braga manteve-se limpa, a nossa ficou novamente manchada. 
Depois há o lance da grande penalidade que, no estádio e através das imagens da "MarítimoTV" parece evidente, com Salino a carregar Heldon pelas costas. Mas disso nem se ouviu falar, porque mais uma vez, isso é um privilégio ao alcance de poucos, muito poucos. 
Apesar de tudo temos que reconhecer que não fizemos um grande jogo e que os argumentos entre uma e outra equipa são completamente distintos. 
As ausências de Roberge, Olberdam e R. Ferreira, dificultam imenso. Não temos um plantel extenso e a equipa ressente-se mais quando os seus habituais titulares não estão disponíveis. 
Mas este já passou, a derrota já foi digerida, agora vamos olhar em frente e preocuparmo-nos com os próximos. 

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Hoje há Caldeirão

Um jogo a não perder, às 20:15 no Caldeirão dos Barreiros. 
Os "homens de barba rija" de Pedro Martins enfrentam os "guerreiros do Minho", comandados pelo madeirense Leonardo Jardim. 
Baba deverá marcar presença para despedir-se dos adeptos verde-rubros. Não falte à festa. 

sábado, 28 de janeiro de 2012

A grandeza do futebol

Imagens de Málaga, onde no final do jogo (empate a 1 golo com o Real Madrid), a equipa local celebrava a permanência na I Liga espanhola. 
Não seriam possíveis se este fosse um daqueles "adeptos" que nem o estádio da sua equipa conhece, ou, nos tempos que correm, nem o país. 
Esta é a grandeza do futebol que muitos, dizendo-se adeptos, não chegam a conhecer. Sinais dos t€mpos.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Não perca, este domingo!

Transmissão em directo do jogo C.S. MARíTIMO B x Ribeira Brava, às 16h. 
Oportunidade única para observar aqueles que serão os futuros craques verde-rubros, os nossos reforços para a próxima temporada. 
Não perca, em directo na maritimo.tv/ para os que estão fora da região, e ao vivo no campo da Imaculada Conceição. 

Frase da semana.

"Já disse muitas vezes que o meu clube em Portugal é o Marítimo." 
Danny 

Problemas de identidade!

Continua o "diário de notícias" da Madeira(?) a oferecer o seu espaço para que "madeirenses" opinem sobre os clubes de além-mar, chegando ao ponto de usar esse espaço para insultar o bom nome de madeirenses que são símbolos desta região. 
Esta coluna é já de 14 de Dezembro do passado ano mas guardei-a porque os três estarolas têm aqui ideias que convém destacar. 
Começamos do menos para o mais grave: 
- a habitual cegueira do adepto do benfica, que depois dos dois jogos do clube nos Barreiros escreve "Na minha opinião o Benfica foi um justo vencedor, acho que as críticas à arbitragem são infundadas, basta analisar os lances,..". Chegou a esta conclusão depois de tirar as suas dúvidas com os especialistas da "BenficaTV".
- o Engenheiro do Sporting, esse acha normal que os madeirenses apoiem benfica/ porto/ sporting, mas depois demonstra-se espantado por ",.., verificar o entusiasmo dos Madeirenses em relação ao futebol Espanhol. Daqui a uns dias perguntamos às pessoas os seus clubes, já não iremos ouvir Sporting ou Nacional como resposta e sim Real Madrid e Tenerife."
- quanto ao Duarte Vieira, não nos merece o mínimo de respeito uma pessoa que usa uma coluna de opinião de um jornal da Madeira para insultar e ofender de forma gratuita uma pessoa que é um dos símbolos desta ilha, e que ainda esta semana afirmou que "o meu clube em Portugal é o Marítimo da Madeira", demonstrando, coisa que este parasita nunca o fez, um enorme orgulho nas suas raízes. 
Não somos iguais a esta gente, não o vamos agredir à saída de uma marisqueira, mas devíamos demonstrar a nossa indignação. Não são aceitáveis insultos destes "Realço na minha intervenção um Senhor, que de português pouco ou nada tem, que vem pôr em causa os 50 mil portistas que assistiram ao FCP-Zenith. Que diz que os filhos têm mais educação que os mesmos adeptos! O seu festejo no golo, não é nada educativo e sim provocativo a um clube do país que representa. Espero que o Danny arranje outra maneira de festejar os golos na selecção." 
Um episódio que apenas se tornou polémico depois do FCP decidir que assim o seria, vale a este senhor palavras de insulto a um seu conterrâneo, alinhando na palhaçada que foi montada pela direcção, treinador e claque organizada do seu clube, num momento de desespero em que tudo valia para continuar em prova. 
Ele que nos explique, a nós e ao Danny, "Se foi de mau gosto o meu gesto, por que é que ele (Vítor Pereira) me cumprimentou a seguir ao jogo de lá? Porque é que, após o jogo, estive meia hora na cabina do FCP a falar com treinador e directores? Se estavam chateados comigo tinham-me dito na altura, ou não?". 

Mas Deus não dorme e pouco tempo depois surgia esta notícia. Uma enorme vitória para os madeirenses, pelo menos os que defendem e sentem orgulho na sua terra, nos seus símbolos e instituições.
Na despedida o rapazinho ainda foi capaz de mais uma pérola. "...gostaria de ver os três maiores clubes do país representados na região e com as suas casas no activo, não só nos dão mais valor como também dignificam esta região.".  
E cá está o "minino" em mais um jantar do ... FCP? Será? 


Artigo interessante do "Visão de Mercado" sobre uma realidade diferente da nossa, sobre um campeonato de sucesso onde os adeptos têm uma mentalidade "bairrista" e onde situações como a que atrás referimos, não acontecem. 
Para ler aqui: Bundesliga: Um caso de sucesso

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Na hora do adeus!


video
Desejamos-te as maiores felicidades do mundo. Obrigado por estes anos fantásticos. 
Até sempre Baba ... 


(o agora jogador do Sevilha deverá marcar presença nos Barreiros no jogo da próxima segunda-feira, para assim se despedir dos adeptos verde-rubros)

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Dois jogos, duas faces!


Para começar este artigo peço-vos que recuem até o dia 14 de Agosto de 2011, estreia do Marítimo na Liga Zon Sagres 2011/12, em pleno Estádio dos Barreiros, frente ao Beira-Mar. Pessoalmente, não é um jogo que me traga boas memórias, não só pelo resultado, mas, principalmente, pela exibição. Com 29 jogos para a Liga, o Marítimo é hoje uma equipa muito semelhante à que se estreou frente aos seus adeptos em Agosto, mas pratica um futebol muito diferente.

É certo que a sucessão de bons resultados leva a que tudo pareça correr bem, todavia a qualidade de jogo demonstrada frente ao Beira-Mar, não é inflacionada, nem sequer obra do acaso, é prova de dedicação e trabalho. Senão vejamos, no jogo de Sábado o Marítimo registou 54% de posse de bola, com um total de 497 passes, sendo que 74% deles foram certeiros. Na minha opinião, são estes os números que simbolizam o futebol actual do Marítimo, um futebol apoiado, pensado e com grande recurso ao passe curto. Dos defesas, que sempre resistiram à tentação das bolas longas, passando pelos médios que foram mestres na recuperação e exímios na distribuição, até aos avançados, que nem flechas apontadas à baliza adversária! Confesso que, por breves momentos, vi no futebol dos verde-rubros princípios de jogo semelhantes ao Barcelona, mas aí começa o coração de maritimista a falar!

sábado, 21 de janeiro de 2012

"O dono da bola também perde jogos"

"Saiba como Joaquim Oliveira ganhou a FPF com Gomes e porque perdeu a Liga para Figueiredo.

Para um homem que nasceu sem jeitinho para jogar à bola, Joaquim Oliveira fez-se grande no mundo do futebol. Enorme, aliás. 'Nos círculos íntimos, faz gala em dizer que é o patrão do futebol.' O que Octávio Machado diz ao Expresso enquadra a entrevista que António Oliveira deu à RTP, na qual o ex-futebolista garantiu que Joaquim, irmão e dono da Olivedesportos, se valeu da sua posição de credor dos clubes para exercer uma espécie de magistratura de influência. Mas a mão de J.O. faz sentir-se noutras esferas: António Oliveira diz que foi pela Olivedesportos que chegou a seleccionador nacional.
Ocatávio Machado garante-nos que não foi o único, .. , Carlos Queiroz (em 1991) e Artur Jorge (em 1997) terão chegado à selecção graças a J.O.
Estes episódios elucidam-nos quanto ao potencial de Oliveira nos bastidores - um potencial trabalhado no passado e que poderá estar a perder gás no presente. As eleições para a presidência da FPF, que consagraram Fernando Gomes, são exemplo de sucesso. Mas a não eleição do 'seu' candidato para a Liga constitui uma excepção. Será a última ou apenas a primeira? Nas linhas que se seguem o Expresso explica o que correu bem na FPF e mal na Liga a Oliveira.

A vitória esperada
O currículo de F. Gomes é extenso: director do dep. de basquetebol do FCP, presidente da Liga de Clubes de Basquetebol, director-geral do FCP, vice-presidente do FCP, administrador do FCP, administrador da FCP SAD... 
Mas neste documento público não consta a passagem pela agência de viagens Cosmos, de Oliveira, que esteve envolvida no caso do árbitro Calheiros, em 1997. A Cosmos, na altura detida pela metade pela Olivedesportos e por António Laranjeira, sofreu um rombo que culminou com a saída de Laranjeira. 'E entrou  o Gomes', contam-nos fontes próximas do processo. Fernando e Joaquim tinham-se conhecido através de Adelino Caldeira, administrador do FCP, e tornaram-se próximos. Entre 1998 e 2000, até ingressar na FCP SAD, Gomes foi 'empregado de Oliveira e director do FCP'. 'Gomes era o ponta de lança de Oliveira no FCP,' confirma um antigo presidente de um clube. Ao Expresso, Gomes assume ter sido 'administrador não executivo e não remunerado da Cosmos', posição que ocupa nos mesmo moldes 'na Misericórdia do Porto'. 
Esta relação pessoal alavancou a candidatura e posterior eleição de Gomes na FPF. Entre dentes, dizia-se nos corredores que só um candidato com o apoio de Oliveira e da Olivedesportos poderia ganhar as eleições. Porquê? Porque os clubes precisam do financiamento da Olivedesportos, que detém o monopólio dos direitos das transmissões televisivas. E Oliveira tinha o seu candidato: F. Gomes, o amigo de longa data. António Sequeira, antigo secretário-geral da FPF, confessa ter batido de frente com a realidade: 'Pensei numa candidatura independente, mas deixei de acreditar no Pai Natal. Pedi uma reunião com o Oliveira para expor-lhe o meu programa, e ele nunca me respondeu; e pedi outra com o L. F. Vieira, e fiquei à espera até hoje. E eu até fui dirigente no Benfica!'. A candidatura não avançou. 

O que continua a ganhar
Com a eleição de F. Gomes, o status quo não muda: o que Oliveira ganhava continua a ganhar. Em primeiro ligar, através da Cosmos, que manterá o monopólio das deslocações das selecções, dos campeonatos nacionais de futsal, dos nacionais da II e III divisões e de juniores e da Taça de Portugal. 
Como nos explica uma fonte de uma Ass. de Futebol nortenha, nas viagens às regiões autónomas as equipas vêem-se 'coagidas a viajar pela Cosmos'. 'Se decidirem por outra agência e o avião se atrasar, perdem por falta de comparência. Mas, se forem pela Cosmos, o avião pode atrasar-se que a FPF trata de reagendar o jogo', garante a mesma fonte. 
Nos regulamentos da FPF está afixado que o organismo tutelar do futebol comparticipa até ao limite máximo de €250 por pessoa numa viagem de ida e volta à Madeira e €300 aos Açores. 
Mas os grandes ganhos de Oliveira com a FPF estão nos direitos televisivos dos jogos da selecção, em poder da Olivedesportos. Este pacote engloba as qualificações para as fases finais e os particulares, que, quando disputados no estrangeiro, permitem encaixe suplementar. 

A derrota inesperada
Com F. Gomes na direcção da FPF, faltava preencher o lugar que este havia deixado vago na Liga. J.O. trá apoiado António Laranjo, que conheceu quando este dirigia a campanha para o EURO 2004. 
Laranjo apresentou-se como independente, mas numa reunião com clubes da Orangina fez questão de anunciar algumas amizades. 'Frisou que era muito amigo de Gomes e Oliveira', garantem-nos. 'A ligação Gomes, Oliveira e Laranjo é evidente', diz outra fonte. E Paulo Teixeira, antigo presidente da Câmara de Castelo de Paiva, vinca a ideia. 'Quando me quis candidatar, o presidente da Oliveirense disse-me, na qualidade de porta-voz da Orangina, que todos os clubes iam votar no Laranjo. E disse-me que eu teria de ter €1,6 milhões para garantir o triunfo', conta Teixeira. Por fim, a entrevista de António Oliveira triplicou a colagem de Laranjo à Olivedesportos. Isso deixou os clubes menores com a pulga atrás da orelha; o putativo vencedor começou a ser visto como o homem do 'sistema'. 

O telefonema pela manhã
O plano 'Laranjo-vencedor', ainda assim, correu sobre rodas até quarta-feira, mas na quinta-feira, dia de eleições, o sentido de voto mudou. Pela fresca, Mário Figueiredo, o outro candidato, telefonou a vários clubes da 1ª. e 2ª.  divisão  a reforçar posições: 1) os direitos televisivos seriam negociados em bloco e a repartição das receitas seria mais justa; 2) ninguém iria descer, porque a 1ª. Liga voltaria a ter 18 clubes e a 2ª. 22(*). A segunda promessa, mais do que a primeira, fez com que clubes como o Rio Ave deixassem cair Laranjo. Com ele, pode cair o monopólio da Olivedesportos." in expresso.pt/

Mário Figueiredo já negou que tivesse prometido que não haveriam descidas de divisão apesar de reafirmar o propósito de alargar a I Liga a 18 clubes: "Nunca afirmei - nem afirmo - que na actual época desportiva não haverá descidas de escalão na I e na II Liga". 

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Conquistadores

Com uma equipa de segundo plano, com apenas dois dos habituais titulares (Robson e Roberge), o Marítimo obteve uma excelente vitória em Guimarães que permite à equipa lutar pelo acesso às meias-finais desta competição no último jogo, no estádio da Luz. 
Foi uma excelente oportunidade para alguns dos jogadores menos utilizados provarem a Pedro Martins e aos adeptos que podem ser opção na primeira equipa. 
Surpresa agradável as prestações de Taiwo Hassan e de Tchô, que demonstraram bons pormenores e vontade em provar o seu valor. 
Nota negativa para os horários dos jogos desta Taça da Liga. Como é possível serem marcados jogos para as 16h/18h15m de uma quarta-feira? Estes jogos tiveram pouco mais de 100 pessoas na bancada e em Guimarães, que conta com uma das mais fiéis e fanáticas "torcidas", foram cerca de 500. Vergonhoso. 


A vida depois de Baba



Volvidos cerca de 5 anos da sua chegada à Madeira, e depois de várias transferências não concretizadas, chegou a hora de Babá rumar a outras paragens, nomeadamente Espanha para vestir a camisola do Sevilha. Após alguma reflexão, chego à conclusão que o senegalês representa o melhor e o pior do futebol moderno. 

Por um lado, Baba é prova viva de que vale a pena apostar nos jogadores jovens, e que um projecto profissional de futebol tem de contar com uma equipa B - como elo de ligação entre a formação e a equipa principal. Por outro lado, o 9 é testemunha da velocidade com que tudo se passa no futebol de hoje, um dia era assobiado, no seguinte era a tábua de salvação de um estádio inteiro. Alguns dirão que esse é o preço de ser atleta profissional, eu prefiro pensar que esse sentimento de amor-ódio está reservado aos grandes jogadores.Todavia a vida continua, e neste momento Pedro Martins estará a questionar-se se haverá golos depois de Baba. Pouga e Fidelis têm a palavra!

V. Guimarães 0-2 Marítimo


terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Vitória dos pequenos

"Esta é uma afirmação dos clubes mais pequenos. Significa que, em Portugal, e não só no desporto, os pequenos estão atentos e que a qualquer momento poderá haver uma revolução noutras áreas como está a acontecer na Liga. 
Só depois de vermos os resultados é que saberemos se esta mudança é benéfica para o futebol, mas era uma solução que tinha de acontecer, porque os clubes mais pequenos estão fartos de ver que a riqueza é para três ou quatro." M. C. in 'Diário de Notícias'
Confesso que quando saiu a notícia da candidatura do Dr. Mário Figueiredo à Liga de Clubes,  nem ousei abordar o tema porque achava que um candidato anti-sistema, no nosso futebol, não teria a mínima hipótese, por muito boas que fossem as suas propostas.  
É que por um lado existem três clubes que se dizem rivais mas que nestas coisas tratam de proteger o tacho, e outros que, presunçosamente se afirmam independentes, mas que chegada a hora da verdade aliam-se aos poderosos porque julgam não poder vencer-los e receiam contraria-los. 
Uma candidatura que teve como mentor Carlos Pereira, que derrotou de uma só vez a quadrilha FCP/ SLB/ SCP/ Olivedesportos e que mereceu comentários arrogantes e deselegantes de algumas figuraças do nosso futebol, deu-nos um imenso gozo. 

"Há o Dr. Figueiredo que é o advogado do Marítimo (*) mas que no futebol não tem passado e há um homem que é o Dr. A. Laranjo que teve um papel preponderante no sucesso do Euro 2004." Pinto da Costa 
Aquilo lá na torre das Antas deve ter sido um dia para esquecer. Um dia inteiro a engolir sapos. 
E há uma outra personagem, que não é coincidência passar mais tempo no Porto que na Madeira, que também tratou de desprezar esta candidatura, esquecendo os interesses do seu clube, porventura com inveja pelo seu falhanço nas anteriores eleições, num comunicado ao estilo da Quinta Vigia: 
"...também tem genros mas não precisa candidatá-los a nada pois não estão desempregados. O Eng. 500 manifesta-se contra toda a estratégia de pastorícia adorada pelos clubes da Liga Orangina no processo eleitoral da LPFP." 

(*) Alguma imprensa publicou erradamente ser Mário Figueiredo o advogado do Marítimo na batalha jurídica que opõe o clube ao FCP no caso Kléber, quando este sempre foi António Faias. 
Vem isto a propósito de mais uma vitória para o clube, desta feita na área jurídica, já que o caso foi reaberto pela Comissão Disciplinar da Liga depois de ter sido arquivado, tendo já sido realizado na última semana a primeira audiência deste novo processo de inquérito. 

Quê que acharam desta surpreendente vitória? Terá o novo Presidente da Liga capacidade para impor as mudanças que, há largos anos, se exigem ao futebol português, ou serão as forças de bloqueio (leia-se Porto, Benfica, Sporting e Olivedesportos) mais fortes que a vontade de mudança expressa pela maioria? 

Nota positiva

2010/2011

TotalCasaFora
Pos.EquipaPJVEDGMGSJVEDGMGSJVEDGMGS
1FC Porto4115132036688002547520112Jogos
2Benfica331511043014870120474031010Jogos
3Sporting281584322147331868512148Jogos
4U. Leiria241573517178512108722379Jogos
5V. Guimarães22156452019843110672141013Subiu 1 posições Jogos






















12Marítimo16153751414723265814389Jogos

2011/2012

TotalCasaFora
Pos.EquipaPJVEDGMGSJVEDGMGSJVEDGMGS
1Benfica39151230381288002577430135Jogos
2FC Porto3715114034887102357430113Jogos
3SC Braga3115942281476101858332109Subiu 1 posições Jogos
4Sporting2815843271474211668422118Desceu 1 posições Jogos
5Marítimo26157532118751110682421112Jogos

No final da primeira volta da Liga podemos dizer que os resultados, comparativamente ao ano anterior, são assustadoramente melhores (+ 4 vitórias, + 10 pontos), e fica a sensação de que podíamos ter feito ainda melhor. Houve jogos em que não nos deixaram, e outros em que tínhamos qualidade para mais mas não fizemos por merecer melhor resultado (Beira-Mar, Feirense e Paços Ferreira). 
Este Marítimo é a equipa-sensação destas 15 jornadas (apesar de assim não parecer para a comunicação social - para estes "especialistas" continua a ser a Académica). Uma equipa de "patinhos feios" em que muito poucos acreditavam, com um pré-época atribulada em que a direcção assumiu as dificuldades e os cortes no orçamento, que não conseguiu os reforços que os adeptos esperavam, que tinha um treinador em que os próprios sócios não confiavam (alguns diziam que já não estaria na Madeira depois da 3ª jornada), estar em 5º lugar a 5 pontos do Braga e a 2 do Sporting (com orçamentos galácticos comparados com o nosso) é um feito tremendo. 
Há que destacar nesta equipa a prestação de Baba, o melhor marcador do campeonato nesta altura (sem contar com golos de grande penalidade), que na temporada passada era um mal-amado dos adeptos verde-rubros e este ano um dos principais responsáveis pelo nosso sucesso (marcou metade dos golos da equipa) e que, a confirmar-se a sua saída, deixará uma vaga difícil de preencher e uma enorme dor-de-cabeça a Pedro Martins e a todos nós. 
Esperemos que a dinâmica deste grupo, a união e a humildade, se mantenham até final, e que os adeptos e sócios apoiem sempre, nos bons mas também nos maus momentos. 
É também altura de começar a preparar o plantel para a próxima época, para que não cheguemos a agosto com quase tudo por definir e com negócios absurdos de última hora.