terça-feira, 2 de abril de 2013

A corja e a cáfila

O "dia seguinte" e todos os outros do género, deviam ser, de uma vez por todas, programas plurais que incluíssem discussões acerca de todos os clubes, sobre futebol e nunca esta fantochada, esta corja que as televisões adoram juntar para uma hora de bacoradas, de ridículo. 
São estes programas que formatam a mentalidade dos adeptos portugueses, que reduzem a Liga a apenas três equipas e que destroem o nosso futebol. 
Que saudades do "Domingo Desportivo", de verdadeiros programas sobre desporto e não desta cambada de abéculas.  
E você? Até quando vai querer seguir a caravana e alimentar este triste espectáculo? Até quando vai continuar a estar do lado destes Senhores, até quando vamos tolerar isto? 

7 comentários:

  1. Não é necessário esses programas de merda, da minha parte acompanho as notícias do clube na net através do site oficial e dos blogs de apoio. Ver este tipo de programas é para mentes fracas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como é óbvio nós não perdemos tempo com este tipo de programas, mas não podemos ignorar o efeito nefasto que estes conteúdos têm na mente dos adeptos, daí a crítica, daí a nossa luta para que um dia seja possível mudar este triste panorama.

      Eliminar
    2. Penso que nesta matéria temos até na Segunda-Feira na RTP Madeira, embora de pouco ou nada sirva. Restringe-se apenas aos 3 clubes de maior representatividade da nossa região, sempre não levamos com os outros. Mais uma delegação inaugurada hoje, espero que os frutos sejam colhidos posteriormente. Penso que estamos a ver um Marítimo em claro crescimento nesta altura em todos os quadrantes.

      Eliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  3. Mais triste é dar dinheiro para rtps madeiras e açores. Vocês nem portugueses são.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu a pensar que um dos melhores jogadores do mundo era português.

      Eliminar
    2. Este é mais um tolo que acha que Portugal é Lisboa, que o país deve trabalhar para que a metrópole se desenvolva e que o resto, a paisagem, é para os miseráveis que não têm os mesmos direitos que eles, que não são portugueses como eles.
      Infelizmente parece haver muita gente neste país a pensar como este labrego, sinal também do nosso atraso e da situação em que o país se encontra.
      É por isso que se ataca com tanta facilidade todo o investimento que é feito em certas regiões menos na capital.

      Eliminar