quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Marítimo 0 – 0 Asteras Tripolis


O Marítimo segue em frente e estará amanhã no sorteio do PlayOff de acesso à fase de grupos da Liga Europa, depois dos dois empates registados na eliminatória anterior com o Asteras Tripolis da Grécia, valendo o 1 - 1 alcançado na quinta-feira passada, em Tripolis.
Nos dois encontros estivemos aquém da qualidade que nos habituou os nossos maravilhas na época passada, eliminando um adversário teoricamente mais frágil pela margem mínima.
Ninguém ficou indiferente ao rosto de desespero e frustração de Pedro Martins na primeira metade, mostrando efectivamente que o jogo não decorria como pretendido.

O Asteras, sabendo da intenção de resolver o mais cedo possível a eliminatória por parte do Marítimo, tentou complicar essa ambição jogando aguerridamente e com muito espírito de entrega. Por sua vez, o Marítimo entrou no jogo com demasiados erros, com passes mal concretizados e muita ansiedade à mistura, não havendo nenhuma ligação entre o meio-campo e o ataque verde-rubro, tal como na primeira mão da eliminatória.

Guarda-redes

Não tenho nada contra Salin, mas considero-o um jogador capaz do melhor e do pior, demasiado instável e inseguro. Ricardo seria uma boa alternativa.

Defesas

Roberge é o patrão da defesa, esteve muito bem no panorama defensivo e na ligação com Rafael Miranda, jogando sempre pelo seguro. Já Rúben Ferreira e João Guilherme estiveram muito abaixo da sua forma, com nota extremamente negativa para a prestação de Rúben Ferreira que poderia nos ter comprometido a eliminatória com uma entrada que deveria forçosamente ser evitada, isto para não referir o nervosismo, inexperiência e ansiedade manifestadas em campo.

Meio-Campo

O brasileiro João Luiz nas duas mãos desta eliminatória não fez outra coisa do que perder bolas no meio-campo completamente infantis, desapropriadas e longe da qualidade que é exigida de um médio. Certamente, David Simão, assumirá o seu lugar de forma categórica, pois parece-me ser o atleta que segura, pensa, lança, com maior qualidade de passe, maior visão de jogo e dotado de um remate de pé esquerdo fortíssimo.
Nota de destaque para Rafael Miranda, que mesmo desapoiado por João Luiz, recuperou imensas bolas e lançou para jogadores mais avançados como Héldon e Danilo Dias, com este último a ter uma exibição muito abaixo da sua potencialidade como atleta.
Danilo Dias não esteve nos seus melhores dias, nem muito menos conseguiu cumprir com a sua obrigação para o encontro, que era buscar jogo atrás e procurar uma linha avançada de desmarque, que também não aconteceu pois Fidelis não esteve muito melhor.

Ataque

Como o lado esquerdo do meio-campo não funcionava por intermédio de João Luiz, Sami que ocupava o mesmo lado numa posição mais avançada não teve nota participativa no encontro. E acabava por ser o lado direito, organizado por Rafael Miranda, que surgiu as nossas melhores chances de golo com assinatura de Héldon, que fora, na minha opinião, um dos melhores em campo.
Em relação ao ponta-de-lança Fidelis, dizer que lhe falta muito é uma ofensa à inteligência das pessoas, isto porque o avançado brasileiro não segurou uma bola que fosse à espera de uma abertura por parte dos extremos (Héldon e Sami) ou de o apoio de Danilo Dias que jogava nas suas costas. Corria incessantemente de um lado para outro sem objectivos, quando pegava na bola rematava sem intenção nenhuma, errando muitas jogadas. Aquando da substituição de Fidelis por Adilson, este trouxe maior segurança e estabilidade na frente, maior posse de bola e abertura nas laterais, mesmo jogando com 10.

6 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Ponta de lança rapidamente, precisamos de alguém que segure a bola na frente... o Fidelis não da conta do recado!

    Neste jogo se não fosse jogadores como o Roberge, Rafael Miranda e Heldon não sei o que seria de nós.

    ResponderEliminar
  3. Sem comentários para o Rúben Ferreira

    ResponderEliminar
  4. A este nível estes erros não se admitem e com o Ruben já não é a primeira vez.
    Esperemos que tinha aprendido a lição com o puxão de orelhas que certamente terá acontecido no final do jogo.

    ResponderEliminar
  5. O João Luiz é um suicida! Não sei como é que o Pedro Martins não convocou o David Simão para colocar aquela amélia.

    ResponderEliminar
  6. "O mais recente reforço da equipa, o médio David Simão, não está inscrito e apenas estará disponível no playoff, caso a equipa consiga qualificar-se."

    ResponderEliminar